As Coincidências

A grande arte recheia a existência
A física senta e escreve o universo
Contas redondas regulam a ciência
Uma frase torta decepa este metro.

Há quem procure as coincidências:
Nomes iguais, talvez datas certas,
A fuga do jogo em duas linhas retas;
E um desafogo a suas consciências.

Pois saiba da morte do argentino
Uma brincadeira triste e divina:
O artista e físico Ernesto Sábato,
Quase fez cem. Morreu num sábado.

Fiz esse poema de brincadeira, no blog de Charlles Campos, sobre um comentário em que se confundiu o dia da morte de Ernesto Sábato.

6 pensamentos sobre “As Coincidências

  1. se de brincadeira o verso sai assim, imagine esse poeta sério. há muita graça nestes teus versinhos “Pois saiba da morte do argentino
    Uma brincadeira triste e divina:
    O artista e físico Ernesto Sábato,
    Quase fez cem. Morreu num sábado.”

  2. Pescoços não são tão poetas assim,
    Mas posso forçar o que queres de mim,
    Verso sem jeito empolado e triste
    poeta falsário com a pena em riste

    Refrão:

    (só não posso te dar o que queres de Lear”

  3. Ah… Meninos, meninos talentosos,
    mas não bebo cerveja, vou de vinho;
    dos argentinos: Sábato é dos poderosos,
    morrer é a pior forma de ficar sozinho.

  4. Houve evocação: vem vate brincar!
    Imagino os amigos, confortos em lá
    Chispa, Vai-te daqui estrela sombria
    pois temos aqui três bobos de Lear

Deixe uma resposta para Igor de Albuquerque Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s