Sempre escrevo contra essa tendência a politizar tudo, a bradar por qualquer coisa, do humor de meu avô a uma trupicada num paralelo mal colocado. Porém vejo gente aparentemente sensata afirmando que as pessoas estão politizando o assassinato de Marielle, veja bem, que estão politizando a execução de um POLÍTICO.
 
A comparação é desagradável, mas, para o bem ou para o mal, Marielle é Franz Ferdinand. É tempo de largarmos os melindres e verbalizarmos esta guerra o quanto antes. Não importa a sua posição, nem o que você defenda, nos próximos meses você verá coisas que preferirá esquecer. Você fará coisas que preferirá esquecer. E depois do tumulto, você fingirá que se esqueceu dessas coisas, e um dia de fato se esquecerá dessas coisas, porque assim sempre foi.
 
Mas agora, bem, agora não há tempo para pensar nisso; agora vemos que nunca houve diálogo, que a nossa Noite dos Cristais será mais cruel, e que resta pouco tempo pra nos prepararmos. Mas ainda há tempo.